É com grande tristeza e pesar que registramos na manhã do último dia 2 de maio, o falecimento do sindicalista José Ibrahim, 66 anos, um dos grandes lideres do movimento sindical brasileiro. Ibrahim foi um líder da histórica greve de Osasco em 1968, atualmente ocupava a Secretaria de Formação Política da União Geral dos Trabalhadores – UGT.

Em seu histórico, consta a liderança na primeira grande greve após o golpe militar de 64, em 1968, a frente do Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Osasco. O movimento grevista foi duramente reprimido pelos militares. Ibrahim foi demitido sem direitos, passou a viver como clandestino e entrou para a luta armada, na Vanguarda Popular Revolucionária (VPR). Pouco tempo depois foi preso, torturado, e mais tarde um dos 15 presos políticos trocados pelo embaixador dos EUA Charles Burke Elbrick, em setembro de 1969. Banido viveu dez anos no exílio.

O corpo do sindicalista José Ibrahim foi velado, na Assembleia Legislativa, em SP, depois seguiu para o Cemitério Bela Vista, localizado na Rua da Saudade com a Av. Dom Pedro I (próximo à Matriz - Igreja de Osasco – Centro), onde foi realizada uma cerimônia para amigos e familiares. O enterro contou com a presença de amigos e políticos.

Go to top