A RioFilme lançará nesta quarta, em evento no Festival do Rio, cinco editais para o setor audiovisual carioca. Os concursos apoiarão projetos de digitalização de cinemas e produções de curtas, longas, e séries para TV e plataformas digitais. No total, serão investidos R$ 10,6 milhões por meio dos editais, beneficiando 47 projetos. Com isso, a Rio Filme terá investido R$ 36 milhões no audiovisual carioca em 2014, ano no qual contou com orçamento de R$ 43,5 milhões.

À exceção dos editais voltados para produção de séries para TV e digitalização de salas, que serão automáticos, os demais serão seletivos. Segundo a Rio Filme, os projetos serão recebidos, analisados, selecionados e pagos ainda em 2014.

Produção

O edital de apoio à produção e à finalização de longas contemplará cerca de 15 projetos de filmes nos formatos ficção, animação ou documentário com até R$ 400 mil para produção ou R$ 200 mil para finalização, em um investimento total de R$ 4,5 milhões. Já o edital de apoio à produção de curtas contemplará 11 projetos com R$ 50 mil cada um para serem produzidos.

O edital de investimento automático reembolsável em séries de TV prevê um investimento total de R$ 3 milhões em 6 projetos, que receberão cada um R$ 500 mil. Para receber o valor, a produtora deverá cumprir algumas exigências, como comprovar investimento de ao menos R$ 500 mil de um canal de TV paga com recursos não incentivados.

Promovido em parceria com o Youtube, o edital de apoio à produção de séries para plataformas digitais selecionará 10 projetos que receberão R$ 100 mil cada para serem realizados. Serão promovidos eventos de capacitação para os concorrentes.

Digitalização e revitalização

Conforme havia sido antecipado por esse noticiário, a empresa pública lançará um edital de apoio à digitalização de salas culturais que beneficiará 5 salas de cinema do Rio com com R$ 200 mil cada.O valor será investido na digitalização da sala cobrindo gastos com aquisição de novos projetores, sistemas de som e telas.

Segundo Sérgio Sá Leitão, presidente da Rio Filme,a empresa identificou 16 pequenos cinemas cariocas que precisarão de apoio financeiro para concluir seu processo de digitalização. O estudo levou em conta acordos de VPF e financiamentos pelo BNDES disponíveis no mercado e concluiu que essas pequenas salas, dedicadas ao cinema cultural e artístico, não conseguiriam arcar com os custos vendendo menos que 80 mil bilhetes por ano. A empresa pública estima em R$ 250 mil o custo de digitalização de cada uma das salas. “Nossa intenção é fazer novas edições desse edital, até complementar todas essas 16 salas”, conta Leitão.Segundo ele, tratam-se de investimentos não-retornáveis. Em contrapartida, as salas deverão cumprir uma cota diferenciada de exibição de obras nacionais e de filmes produzidos pela própria RioFilme.

Além do edital, a Rio Filme anunciará a revitalização do Cine Glória, sala de 110 lugares localizada no Memorial Getúlio Vargas, na Glória, que passará a sechamar CineCarioca Glória e terá uma programação voltada para filmes brasileiros, clássicos do cinema e filmes de arte estrangeiros, além de mostras e festivais e de filmes voltados ao público infantil.

O CineCarioca Glória ganhará projeção digital DCI, com som Dolby 7.1 e uma nova tela. Serão realizadas 2 sessões durante a semana e 4 nos finais de semana e feriados, além de projeções no espaço público.

Go to top