Foi um tiro no próprio pé! O PMDB quis saber e recebeu um belíssimo CONTRA. O recado já tinha sido dado pelo povo e só o presidente da república e seu partido é quem não quis ouvir. 96% da população estão contra a reforma da Previdência e precisa se conformar porque essa é a voz que vem das ruas. O povo está cansado de ser ludibriado com falsas promessas e, além disso, ter que sustentar - a um custo milionário - uma cambada de vermes que legislam em causa própria e esmagam os trabalhadores com a retirada de seus direitos.

"Esse foi só mais um recado para aqueles que resolvem por conta própria - sem consulta popular - abusar do voto popular e votar projetos que normalmente são contra a vontade e interesses da população. Todo mundo sabe que essas reformas - trabalhista e previdenciária - não encontram respaldo entre os trabalhadores. Se insistirem com as reformas o governo cairá em desgraça junto com os partidos e os parlamentares. Enganam-se aqueles que acham que o povo vai aceitar pacificamente toda essa maracutaia reformista, sem esboçar nenhuma reação. Vamos para as ruas e marcharemos até o Congresso Nacional contra os abusos em cima dos trabalhadores", avisa Canindé Pegado, presidente do SINCAB.

Sob o título “Qual a sua opinião sobre o texto da Reforma da Previdência aprovado na Comissão Especial?”, o PMDB Nacional viu a enquete publicada em seu site apresentar uma rejeição massiva, com 96% dos internautas escolhendo a opção “contra”. Até a tarde desta segunda-feira (15), 40.945 votos foram computados, sendo 39.492 contra. Apenas 674, o equivalente a 2%, colocaram-se a favor. Outros 611 (1%) escolheram “não tenho conhecimento” e 168 (1%) escolheram a opção “prefiro não opinar”.

O texto da reforma foi aprovado na Comissão Especial no dia 3 deste mês. A reunião foi interrompida após agentes penitenciários ocuparem o auditório. A votação dos destaques aconteceu na semana seguinte, no dia 9, com a Casa sob forte esquema de segurança, cercada por grades e policiais. Dos 12 destaques apresentados, apenas um foi aprovado. A sessão da semana passada durou cerca de dez horas.

Considerada prioritária na agenda do governo, o presidente Temer (PMDB) tem se esforçado para garantir a aprovação do texto da reforma da Previdência no Congresso. O peemedebista tem se reunido com líderes de dos partidos que integram a base governista na Câmara para garantir os 308 votos necessários para a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC), que exige aprovação de três quintos da Câmara e do Senado – o equivalente a 308 deputados e 49 senadores.

 

Oposição ironiza

A enquete foi ironizada nas redes sociais. O Psol fez uma publicação no Twitter. “Nem na sua própria enquete consegue ter aprovação para o desmonte da Previdência”, afirma a postagem, que traz uma imagem da enquete.

O deputado Pepe Vargas (PT-RS), também fez uma publicação no Twitter com o resultado da enquete. A imagem postada pelo petista traz a pergunta “quem manda no PMDB?”, fazendo referência à imagem do site “Quem manda no PMDB é o PMDB”.

Na mesma rede, um usuário ironizou: “Hoje eu tô só o @PMDB_Nacional tentando fazer enquete no próprio site e sendo massacrado”.

 

Go to top