Finalmente os amigos estão pulando fora do barco e deixando sua majestade sozinha. Chegou a hora da verdade e dela ninguém escapa. A pergunta que se faz é: Porque tentar salvar uma alma se ela já está condenada por toda uma sociedade? Senadores e deputados sabem muito bem que em 2018 vai haver eleição e que se votarem contra o povo serão condenados juntos com aquele que já arde na fogueira do inferno. O presidente está enrolado até o pescoço. O ministério Público Federal (MPF) sustenta que a prática de corrupção passiva começou no encontro entre Joesley e Temer e culminou com a entrega de uma mala de dinheiro para Rodrigo Rocha Loures, assessor especial do presidente.

"Não foi o procurador-geral da república, Rodrigo Janot, que inventou o objeto principal da denúncia por prática de corrupção passiva. A denúncia se deu em grande parte por ações realizadas em conchavos realizados e que foram sendo agravados no atual governo. Portanto, de nada adianta o presidente Michel Temer querer se passar por inocente e impoluto, tentando manchar a conduta de Rodrigo Janot, pois quem foi pego com a boca na botija foi ele, quando as provas acabaram surgindo e mostrando as safadezas nos porões da república", comenta Canindé Pegado, presidente do SINCAB.

Embora conte com uma base teórica majoritária no parlamento e tenha se esforçado em dar ares de normalidade à vida política do país após o baque das delações de executivos da JBS, o presidente Michel Temer não conta hoje com o compromisso de deputados membros da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania de derrubarem a denúncia apresentada pelo procurador-geral da República Rodrigo Janot junto ao Supremo Tribunal Federal na última segunda-feira.

Segundo o jornal O Globo, que procurou os 66 deputados titulares do colegiado, apenas quatro se dispuseram a defender abertamente a rejeição da denúncia. No sentido oposto, a oposição já conta com 13 votos favoráveis à abertura da investigação. A grande maioria dos ouvidos não respondeu ou se mostrou indecisa no momento. Outros 14 parlamentares não foram encontrados pela reportagem.

Nem mesmo deputados peemedebistas quiseram sair em defesa do presidente. Na bancada, apenas um parlamentar -- Alceu Moreira (RS) -- confirmou que votaria contra a denúncia apresentada por Rodrigo Janot.

Entre os 13 parlamentares favoráveis à autorização para que o STF processe Temer por crime de corrupção passiva, um deputado é de partido da base: Fábio Souza (PSDB-GO).

 

Go to top